POLÍTICA DE COMENTÁRIOS

O Blog da ADGF é absolutamente democrático, todos os comentários são aceitos exceto os que contiverem ofensas pessoais ou uso de palavrões, os quais serão sumariamente excluídos pela administração do Blog. A possibilidade de comentários é uma oportunidade para adensar nossas cogitações sobre os fatos ou reflexões propostas pela própria ADGF e permitir acumular impressões, opiniões e avaliações críticas sobre os mesmos.

34 comentários:

  1. Sou aluno novo, primeiro período. Continuo pagando a faculdade ou não?

    ResponderExcluir
  2. Agora, eu espero realmente que, as datas de aulas perdidas possam ser repostas sem custos adicionais e sem prejudicar os alunos da instituição.

    ResponderExcluir
  3. Eles não vão atualizar mais esse site não? Fizeram a política de comentários o estatuto e tal e agora parou? última postagem dia 27?? Cade, quero informações..

    ResponderExcluir
  4. Alguém sabe me informar se o curso de fisioterapia está tendo aulas ou não?

    ResponderExcluir
  5. Absurdo ainda não ter iniciado as aulas na UGF. Os alunos de Medicina, os calouros, estão pagando faculdade e aluguel pra não terem aulas! Nós queremos aulas a partir de amanhã! Aulas, aulas, aulas, aulas, aulas,aulas.

    ResponderExcluir
  6. Queremos aulas de Medicina, temos direito! Passamos no vestibular, pagamos a matrícula, pagamos as mensalidades de fevereiro, março, abril
    2013. Tá difícil ou querem que dezenhe! Alôôôô, aulas a partir de amanhã!

    ResponderExcluir
  7. Me admiro muito ADGF não ter resolvido de outra forma para que os alunos que pagam suas mensalidades sejam prejudicados, vocês não estão se importando com os alunos.
    Esta instiuição não é do governo portanto teria outros meios de resolver sem prejudicar os alunos.
    O contrato de trabalho entre docentes (funcionários) e mantenedoras constitui-se em relação trabalhista entre as partes, . Questões relativas ao descumprimento dos contratos de trabalho devem ser apresentadas à instância competente, no caso, a Justiça do Trabalho,
    Por que a ADGF desde o inicio não procurou os meios juridicos para solucionar este problema e não prejudicar os alunos incentivando a greve.
    Vocês deverão acabar com esta greve para que os alunos não percam o semestre.

    ResponderExcluir
  8. ADGF, como podemos tratar esse assunto? O professor encaminhou esse email com a seguinte informação. Procede? O mesmo informou também, que não aderiu a greve. E exigiu o material em sala.
    ---------- Mensagem encaminhada ----------
    De: "Marco Calvinho"
    Data: 09/04/2013 16:50
    Assunto: material de hoje aula
    Para: XXX


    AMIGOS A GREVE DOS PROFESSORES TERMINOU. . .A MINHA NEM SEQUER TINHA COMEÇADO. . AULA HOJE NORMAL. . . .. . IMPRIMIR O MATERIAL E LEVAR. . .



    --

    Atenciosamente,

    Prof. Msc. Marco Antonio Calvinho
    Universidade Gama Filho - UGF
    Matrícula: 19723-8

    ResponderExcluir
  9. Segundo me consta em julho deveriamos receber salario pleno relativo a junho, 1/3 de ferias de 2011 e 50% restantes do salario de janeiro/2013, certo ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não faça esse tipo de pergunta,pois a ADGF esta igual ao LULA,não viu nada,não sabe de nada...

      Excluir
  10. Por favor, será que algum professor poderia se colocar de maneira firme quanto a um plano futuro para os alunos, com conselhos mais maduros em relação aos bastidores, como por exemplo se nós devemos escolher outra instituição ou não. Nós alunos entendemos a paralização, mas precisamos da ajuda de vcs!

    ResponderExcluir
  11. Gostaria de saber porque nenhum representante da ADGF esteve na Gama sábado por ocasião da visita da Globo?Será que foi medo de represália do Sr.Alex?Caso tenha sido fica complicado

    ResponderExcluir
  12. Sou aluno do 4º período de Engenharia, sempre apoiei o pleito dos docentes nesta queda de braço, contra o grupo Galileo, mesmo tendo meu rendimento prejudicado pelas greves, estou indignado com a atitude de alguns professores, que não fizeram nenhum esforço para facilitar a vida dos estudantes, aplicaram os conteúdos das matérias em tempo recorde, para seguir os cronogramas impostos, e eles cobraram da mesma maneira, parece que ficam satisfeitos em deixar os alunos em suspense, e sem informações, mesmo as que temos direito. Acho que alguns professores tem que mudar seus conceitos, pois num caminho unilateral é muito mais difícil chegar ao objetivo, do que numa caminhada juntamente com docentes e discentes.

    ResponderExcluir
  13. Bom dia, prezados gostaria de saber se alguém tem contato com a professora Ana Paula (Cultura Brasileira) da UEAD, tendo em vista um lançamento equivocado de notas no sistema gerando minha reprovação. Sou formanda do curso de Direito(Piedade) e minha colação está marcada para dia 22/08. não consigo contato com ninguém da UEAD, solicito ajuda. Grata

    A GREVE É MUITO JUSTA!! PAREM TUDO ATÉ A GALILEO RESPEITAR O TRABALHO DE VOCÊS!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline...consegui resolver meu problema com EAD pelos seguintes e-mails:
      aladeira@eadugf.com.br
      secretaria@eadugf.com.br
      coordenacao@eadugf.com.br

      Excluir
  14. A greve é justíssima, mas eu peço aos professores e a instituição que regularizem os lançamentos das notas em A2, porque há matérias em que já estamos aprovados que estão entrando com autorizadas para serem cursada para este período, como se nós estivéssemos reprovados ou nunca termos feito e outras em função do não lançamento ou erro de sistema, ou sei lá o que rsss também consta como reprovado e aparecendo para ser colocada na grade para ser cursada novamente, cujo eu e meus colegas de grupo estamos reivindicando junto ao mestre a 2 semanas para que ele pelo menos nos de por email pessoal o resultado do trabalho q vl como A2. Campus Piedade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico a pensar no meu caso que me formo neste semestre e não tenho informações nenhuma, nadaaaa....

      Excluir
  15. Isto em função do período de rematrícula estar muito prox ,é somente até o dia 18 de agosto e muitos dizem se não regularizar a nota em tempo hábil não poderá mais ser feito, procede?

    ResponderExcluir
  16. É preciso que a Associação de Docentes da Gama Filho tenha consciência da dimensão social do atual conflito e não se limite a pugnar unicamente por salários atrasados. Há muito venho denunciando a explícita ilegalidade da venda de instituições de ensino superior. Sabemos que o direito da mantenedora é de natureza concessionária, não podendo, assim, ser negociado como banana em feira livre. Caso uma mantenedora não consiga cumprir a contendo sua missão, cabe ao MEC intervir, nomeando um interventor pró-tempore, até que uma nova mantenedora, indicada pelo MEC, assuma o gerenciamento financeiro da instituição de ensino. Caso a natureza da mantenedora seja filantrópica, a lei exige que, no caso de seu afastamento da instituição de ensino, todos os bens móveis e imóveis sejam transferidos para outra instituição filantrópica ou incorporados ao Estado. No entanto, o que vemos são as mais tenebrosas transações, com a total omissão do MEC. A questão torna-se mais grave quando a instituição de ensino é uma universidade, como no caso da Gama Filho. Neste caso, a autonomia da gestão acadêmica cabe, única e exclusivamente, ao seu colegiado docente, e não à “empresa” camuflada em mantenedora. Como este é um direito constitucional, além de explícito na LDB, e face omissão do MEC sugiro que esta Associação encaminhe estas, e certamente ainda outras, denúncias ao Ministério Público Federal.
    Prof. Dr. Renato P. Brandão

    ResponderExcluir
  17. Prezados,

    Sou a favor da Greve dos professores, porém acredito que assim como os professores os alunos também estão sendo prejudicados. Devido a greve as provas tiveram as datas alteradas. Agora me encontro em desespero pois estou aguardando o lançamento de uma nota A3 que sei que passei, pois o professor enviou a nota para o e-mail dos alunos, mas não lançou no sistema. Sou formanda e só tinha essa matéria pendente, ou seja, se o professor não lançar essa nota não vou conseguir fazer a colação de grau que será dia 23/08, e o pior é que os alunos não conseguem respostas do professor, e não temos auxilio de ninguém. Acredito que não é a intenção de nenhum professor prejudicar a formação de um aluno. A comunicação é fundamental! E agora? Será que meu sonho vai ser jogado fora porque minha nota não foi lançada? O mínimo que gostaria de ter é uma resposta do professor, ou de alguma forma de resolver este problema.

    ResponderExcluir
  18. Estou desacreditada do inicio das aulas da UGF que mais uma vez foi adiada, agora para 02 de setembro de 2013.
    Não pretendo pagar mais nenhuma mensalidade até regularizar a situação de instabilidade e retomar a prestação de serviços acadêmicos. Me sinto frustrada com tudo isto. Em pensar que tinha previsão de formatura para dezembro de 2014.
    O que mais esperar?

    ResponderExcluir
  19. UC / GF / GALILEO

    INTERESSADOS SOBRE AÇÃO CONJUNTA E/OU TRANSFERÊNCIA:

    UC / GF / GALILEO (https://www.facebook.com/groups/520822284669852/)

    OU

    marlianjuk@gmail.com.br

    ResponderExcluir
  20. https://www.facebook.com/photo.php?fbid=538436729561653&set=a.408678679204126.92418.408623802542947&type=1&ref=nf

    ResponderExcluir
  21. MENDICÂNCIA PEDAGÓGICA
    Prof. Gilvan Teixeira
    e-mail: profpreto@gmail.com
    blog: profgilvanteixeira.blogspot.com.br


    Ser professor é tarefa árdua. Ser professor de escola pública, mais ainda. Ser professor de escola pública estadual do Rio Grande do Sul é quase uma tragédia, quando não caso de polícia. O que estão fazendo com os educadores? A situação é para lá de desesperadora. Salários aviltantes (abaixo dos já parcos valores garantidos em lei), condições de trabalho aquém do razoável, jornadas de trabalho extenuantes, estruturas físicas das escolas deterioradas, alunos desestimulados, pais cada vez mais omissos... As exceções só comprovam a regra. Frente ao dantesco quadro, o que se vê é um governo absoluta e perigosamente perdido. Discursos e promessas não faltam. A práxis, contudo, é escassa. Incompetência, inoperância e ineficácia se misturam nesse triste caldeirão da desesperança. O professorado acaba por ser penalizado várias vezes. O é quando se depara com os valores pífios trazidos no contracheque, quando tem sua imagem maculada frente à dita “opinião pública”, sendo taxado de “chorão” e avesso ao trabalho. É penalizado, ainda, quando precisa assumir a responsabilidade pelo cumprimento de um calendário repleto de horas e dias letivos, sem a mínima garantia de qualidade. Fica o professor entre a cruz e o punhal. A estratégia dos “donos do poder”, ao que parece, tem surtido efeito. Desmobilizou a classe. Paralisar ou ter que trabalhar nos meses costumeiramente tidos como de férias? Criou-se no educador a síndrome da vítima. Esta, ironicamente, ao mesmo tempo em que sofre nas mãos do algoz, sente-se culpada. O servidor, ao mesmo tempo em que é “violentado” pelo Estado, sente-se culpado em desejar gozar momentos de prazer e alegria nos meses de verão. Pérfida e diabólica ironia. Há muito, neste país – e de forma muito particular neste Rio Grande – tem se criado e recrudescido uma espécie de autocomiseração por parte dos professores. Hora nos menosprezamos, hora nos menosprezam. Ser mediocrizado – e os valores pagos atestam de maneira inequívoca o desprezo pela classe – soa como “natural”, aceitável e plausível. Grande engodo. Por que não dispensar tratamento pecuniário similar (e vergonhoso!) a juízes, desembargadores, procuradores, médicos... Funções e rubricas orçamentárias diferentes? Sim, é verdade. Ainda assim, injustificável a oceânica diferença salarial em desfavor do magistério. A recomposição salarial dos professores é urgente e necessária. Sem ela, resta comprometida e impossível a busca da qualidade no ensino. Ninguém dá o que não tem. Como trabalhar conceitos como o da dignidade sem vivenciá-los? A situação do educador gaúcho é vexatória, degradante e desumana. Atenta contra a dignidade da pessoa humana e, portanto, contra diversos diplomas legais, nacionais ou não. Representa um tapa no futuro e lança por terra muitos dos sonhos e utopias. A mendicância pedagógica marginaliza não apenas o professor, mas todos os que dele dependem. Marginaliza a família do educador (sim, senhores governantes, o professor tem família!), assim como põe à margem, também, a comunidade escolar como um todo. Não por acaso, o ensino público vai de mal a pior. Pouco e mal se aprende. A flagrante mediocridade intelectual dos educandos é, por certo, resultante – em grande parte – da mendicância que assola o professor. É passada a hora de uma verdadeira, profunda e emergencial transformação no ensino destes páreos, mudança esta que passa, necessária e obrigatoriamente, pela real valorização profissional do magistério.

    ResponderExcluir
  22. O campos da UGF- piedade esta muito perigoso. Ontem dia 01.10.13 , dois indivíduos cobravam pedágio dentro do estacionamento da UGF das pessoas que saiam com seus carros, inclusive eu fui abordado. No mesmo dia um estudante foi assaltado, levaram o seu carro.
    Tentei contato com a Galileu por seus telefones, não obtive sucesso, também não encontrei o reitor.
    Quem puder ajude!

    ResponderExcluir
  23. Cara o que será de nós alunos se vier outra greve??? Período perdido????? Até quando ficaremos a mercê desta instituição que não cumpre com as suas obrigações com os professores e nem mesmo com os alunos...me sentindo INDIGNADA

    ResponderExcluir
  24. Feliz natal??? vao pro inferno... deixei de me formar por causa desses bando de corruptos!!!!!minha formatura seria meu presente de natal!!! mas vcs pegaram meu dinheiro e devem estar no havaii pegando altas ondas !!! seus idiotas!!!

    ResponderExcluir
  25. Sou ex-aluna do Colégio Piedade onde ingressei em 1981 e a partir de 1985 fui aluna da UGF na Faculdade de Direito, tendo concluído o mesmo em 1988.2 e no ano de 1990 fiz Pos Graduação em Direito Empresarial. Meu Pai tb foi aluno da Fauldade de Direito. Meu irmõ foi aluno do Jardim de Infância(qdo o mesmo era exclusivo para filhos de alunos e funcionários). E anos depois meus dois filhos estudaram no Colégio Gama Filho de Jacarépagua, e no ano de 2003 ou 2004 em uma medida drástica que surpreendeu a todos o Colégio Encerrou suas atividades no final do ano letivo deixando alunos e corpo docente em lágrimas. O prédio do Colégio foi preservado, porém todo o espaço da Vila Olímpica foi tranformado em um grande congomerado de prédios com mais de 1.000 apartamentos???? Como isso foi possivél. Até hoje não encontrei nenhuma resposta plausivél..... E agora diante deste crime q estão fazendo com a UGF sinto uma profunda tristeza e estou totalmente solidária com todos q lutam para a manutenção desta instituição...E no q for preciso coloco-me a disposição para colaborar no q for necessário. Ainda tenho em meus guardados o Livro Comemorativo do Decenário da UGF e do 43º ano de aniversário da instituição de ensino q lhe deu origem, meu saudoso Colégio Piedade, editado em dezembro de 1982, onde esta contada toda a história da luta e coragem do homem q sonhou nos idos de 1939 e consegui fundar a UNIVERSIDADE GAMA FILHO, o estimado Ministro Gama Filho, o qual disse certa vez: "Não morrerei sem dar a este subúrbio uma universidade".
    Tive a dádiva de vê-los várias vezes caminhando pelo Campus, na sua impecavél vestimenta branca.
    Mestre, ilumina os homens, rogue por todos nós, que temos a honra de ter estudado nesta instituição, a fim de que o seu sonho e o nosso orgulho não sejam em vão!!
    Conforme consta das fls. 148/149 da obra cit: nasceu, cresceu e se consolidou também a luz da trilogia comtiana em que se inspirou a legenda da bandeira brasileira:
    ""O amor por princípio, a ordem por base, o progresso por fim"".
    Carla Nadaes
    carla.nadaes.adv@gmail.com

    ResponderExcluir
  26. Qual é o tempo da contratação temporária dos funcionários e dos professores.
    Atenciosamente,
    Luiz César

    ResponderExcluir
  27. Gostaria de saber sobre a validade dos certificados dos alunos que terminaram o curso em 2013 pela UGF. Estou tentando uma resposta do MEC desde o início de janeiro 2014 e até agora nada, nem pelo tefelone 0800 616161 e nem pelo site. Também está muito difícil falar com o atendimento da UGF em SP e os emails não são respondidos.

    ResponderExcluir
  28. Bom dia! Vocês tem alguma noticia sobre a entrega dos documentos de transferência, meu filho solicitou os documentos de transferência em 19/08/2013, sendo liberado em 26/11, quando ele foi buscar no começo de dezembro a UGF estava em greve, através dos protocolos 2013028231, 2013028232 e 2013706448. Vocês tem alguma orientação?

    ResponderExcluir
  29. Ola, meu nome é Daniel e gostaria de saber se ainda é possível na Gama Filho (Piedade) adquirir documentos que faltam para transferência. Quase entrei na Uniabeu mas faltou a IMENTA das matérias que eu cursei. Poderiam me dar alguma orientação de como proceder? Ficarei imensamente agradecido pela ajuda/orientação.

    Daniel, Curso de História - Piedade/noite.

    ResponderExcluir
  30. ADGF, preciso de uma informação: como faço para localizar contatos de professores da UGF? Fiz Ciências Biológicas e preciso de duas cartas de apresentação. Terminei o curso em 1992. Obrigada.

    ResponderExcluir